quinta-feira, 14 de julho de 2011

Capitulo 69 - Adeus, Madalena.

Dêzinho - ó papá!

Rita - A Joaninha já vem aí dar-te o pequeno-almoço.

David - Agora o papá vai ter é de ir trabalhar... tá bom?

Dêzinho - vais macar um golo?

Rita - Qualquer dia vais ver o pai ao estádio...

David - E o papá marca um golo pra você..

Dêzinho - Boa, papá!

David - Vá, um beijo. (Dá um beijinho na bochecha do filho, e depois na Rita) Eu venho já (despede-se também dos pais e vai embora)


Rita - Bom trabalho, amor.

(...)

Uma Semana Depois:

David - Não pode ser... Tem de haver algum jeito..

Dr. Francisco - Lamento, mas vamos ter que o por em lista de espera, e esperar que apareça algum dador compatível.

Rita - o senhor tem a certeza ao resultado das análises?

Dr. - Infelizmente, sim... Agora só nos resta esperar...  Ele já pode ir para casa até arranjarmos um dador... se ele tiver uma recaida, venham imediatamente para aqui, está bem?
David - Sim...

Dr. - A Joana já arrumou as coisinhas dele, é só irem vesti-lo. Podem ir.

Rita - Está bem, doutor. Adeus.

Então, foram até á salinha dos brinquedos onde estavam alguns meninos a brincar. O Dêzinho estava num cantinho da sala, com a Madalena a brincar com legos.

David - Davii?

Dê - Papáááá!! (O menino foi a correr para o pai. Ele agachou-se e envolveu o filho num abraço bastante tornurento)

Rita - Queres ir para casa, amor?

Dê - Sim, mamã..

Rita - Vamos vestir, então...

Foram para o quarto e quando estavam prontos para ir para casa e estavam a ir para a saida do hospital, o Dêzinho disse:

Dê - Mamã, nao podemos ir embora! (estava ao colo do David.)

Rita - Porquê, amor?

Dê - Temos que trazer a Lena, mamã!

David - Agente nao pode fazer isso, meu amô...

No momento em que iam embora, ouviu-se uma correria até ao tal quarto dos brinquedos. Momentos depois, viram uma maca com a Madalena, inconsciente.

Dêzinho - Papá, o que é que a Lena tem?

David - Nada.. (encostou a cabeça do menino ao seu ombro para que ele nao pudesse ver)

A maca dirigiu-se para o quarto ao lado do do David e ouviu-se:

- AFASTEM-SE! (Provavelmente a tentar reanimá-la, gritava o Dr. João)

Dr. Joana - João, esquece... Vou declarar: Hora da Morte: 10h04m...

Assim que a Rita ouviu aquilo, desatou a chorar.

Rita - Vamos embora, David.

Foram para casa e o Dêzinho ficou logo entusiasmado por poder ir brincar com os seus brinquedos.
Minutos depois, quando a Rita estava sentada no sofá, o Dêzinho vai ter com ela.

Dêzinho - mamã?

Rita - Sim?

Dê - O papá?

Rita - Está lá fora. Queres ir brincar com ele?

Dê - sim.

Então abriram a porta vidrada, que dava para o jardim. O David tinha ido dar um mergulho, mas já tinha saido e já estava sentado á beira da mesma, com os joelhos flectidos e com os cotovelos apoiados nos mesmos.

Dê - papá, vamos jogar á bola?

David - Oh amô, o papai vai ter que ir trabalhar (deu-lhe um beijinho na testa assim que se levantou)

Rita - tás bem, amor? (ela tinha reparado que ele estivera a chorar)

David - Tá, gatinha.. (Dá-lhe um beijo rápido) Vou tomar um banho..

Rita - Tá bem.. Eu vou dar de comer a este pirralho.. (o menino riu-se assim que ela o pegou ao colo)

O David foi tomar o duche e a Rita dar de comer ao filho.

Rita - Então, Dê? O que é que te apetece?

Dê- FUTRINHA!

Rita - Maçã ou banana?

Dê - Os dois! (fez '2' com os dedos)

Entao ela cortou a fruta aos bocadinhos e deu-lhe numa tacinha.

David - amô, vou andando. (Disse, ao entrar na cozinha)

Dê - papá, papá! Toma Futrinha! (esticou os braços com a taça numa mao e uma colher na outra) qués banana ou maxã?

David - banana (ri-se)

Dê - Toma... (Dá-lhe um bocadinho)

David - Hum.. que bom. Vá meu amô. o papai tem que ir.

Dêzinho - Amanha quero ir ver o golo! (no dia seguinte havia jogo da Liga Europa: Benfica - PSV)

Rita - Sim, nós vamos.

David - Vá, eu vou indo. Adeus amô.

Dê -Adeus papá.

Rita - Dê, fica a comer, que a mamã vai com o papá á porta.

Dê - Continuou a comer.

Ela foi com ele até à porta.

Rita - Ele parece melhor, nao parece?

David - Sim, já me põe um pouco menos preocupado.

Rita - Vai tudo ficar bem, amor (Colocou a sua mao na cara dele, e ele fez o mesmo na cara dela)

David - (com a testa encostada á dela) Te amo..

Rita - Eu tambem te amo.. (rossou o seu nariz no nariz dele, fazendo-se seguir por um beijo lento e carinhoso que não trocavam há bastante tempo) Até Logo... (Beijou-o outra vez.)

David - Até logo. (E saiu)

6 comentários:

  1. Bem... Já não estou a gostar nada, nada disto!
    Ele não pode morrer, é muito triste! :(
    Segui esta fic desde o início e não me canso, minha linda!

    Quero mais, apesar de saber o que por aí vem!
    Beijinhos ^^

    ResponderExcluir
  2. Ele não pode morrer, vai ficar uma história tão triste, ele não pode morrer.
    Fizeste-me chorar.
    Quero mais!

    ResponderExcluir
  3. Oh, vá lá ele não morre morrer :c
    Está emocionante (:

    http://onedirectionfanficpt.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Adoro ler a cumplicidade do David com o filho *.*
    Continuaa , tá lindo (:

    ResponderExcluir
  5. fantastico...

    quero mais...

    continua...

    ResponderExcluir
  6. coitadinha da Lena :c
    mas gostei muito do capítulo (:
    beijo. txi amo <3

    p.s. NÃO QUERO QUE O DÊZINHO MORRA !

    ResponderExcluir